O que somos e a importância disso

Sim, nós somos mais do que vestimos. Nós somos mais do que nossa aparência, somos mais do que nossa conta bancária e somos mais do que nosso nome e idade. Certamente, somos mais do que nosso trabalho e atividades de lazer. Existe algo em cada um de nós que é muito mais do que o visível, algo que ultrapassa o terreno do que pode ser traduzido, ou imitado. Algumas pessoas chamam esse “algo” de Self, algo interno, que está para muito além de nossa personalidade. Independente do nome que você dá a isso: no fim, é o que somos nas dimensões mais profundas de nós mesmos.

Se fôssemos um sistema solar, isso seria o Sol em torno do qual todos os planetas giram. Fonte de energia e centro gravitacional que dá sustentação a todo o resto. Mesmo que toda a vida da Terra acabe, lá estará a nossa estrela central, brilhando e iluminando muitos e muitos milhões de quilômetros de distância. Da mesma forma, mesmo que a gente mude tudo o que seja superficial, modificando nosso trabalho, cidade, roupa, ou corte de cabelo, lá estará nosso Self, imutável, constante e, acima de tudo, presente.

Porém, o charme que o planeta azul possui em relação ao Sol é proporcional ao charme que nossas superficialidades possuem em relação ao Self. Que pena seria para o sistema solar se este terceiro planeta desaparecesse por completo, pois acabaria, assim, toda a humanidade e sua complexa cultura. Que pena seria se em nossas vidas não tivéssemos a capacidade de admirar a qualidade estética de um vestido, sorriso, ou alimento. Ainda que essas coisas sejam apenas pequenas coisas, periféricas em relação a todo o resto, demonstram qualidade de vida e comprovam a delícia dos prazeres dos sentidos.

Uma bela roupa, um bom sofá, uma conta bancária vigorosa e um sorriso sincero não resumem um ser humano completamente. Mas, convenhamos, é um bom começo. Afinal, existir nesta vida sem apreciar o que é belo e bom seria existir verdadeiramente?

Texto tirado daqui: http://marcoseiji.wordpress.com/

Imagem extraido do blog da unidade Morumbi: http://metododerosemorumbi.org/a-vida-e-curta-curta-a-vida-derose/

Esta entrada foi publicada em Filosofia, Textos e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>