Kriyá – Atividade de purificação das mucosas

Kriyá significa atividade. Os kriyás são técnicas de purificação típicas do Yôga Antigo. Consistem em uma verdadeira arte de limpar o corpo, por fora e por dentro, atentando para filigranas de fazer corar qualquer um de nós que se supusesse uma pessoa asseada.

Para perplexidade do arrogante ocidental moderno, os kriyás foram elaborados numa época em que a maioria dos povos hoje tidos como cultos nem tomava banho, nem escovava os dentes. Nessa época, os yôgis já estavam mais preocupados com o fator higiene do que nós hoje em dia, mais que todos os povos de qualquer época.

Eles sabiam, por exemplo, que não adianta só lavar o lado de fora, a face visível do corpo, se deixarmos imunda a parte que não é vista. Tinham consciência de que isso não é lá muito honesto, pois parece-se muito com jogar a sujeira para baixo do tapete. Só que o tapete, nesse caso, é o nosso corpo!

Os principais kriyás são seis, denominados shat karma.

1)   Kapálabhati Limpeza do cérebro[1] e dos pulmões. Também pode ser catalogado como pránáyáma.
2)   Trátaka Limpeza dos globos oculares e treinamento para melhorar a visão. Tem atuação muito rápida para astigmatismo e hipermetropia.
3)   Nauli Limpeza dos intestinos e dos órgãos abdo­minais por massageamento.
4)   Nêti Limpeza das narinas e do seio maxilar com água (jala nêti) ou com uma sonda especial (sútra nêti).
5)   Dhauti Limpeza do esôfago e do estômago com água (jala dhauti) ou com uma gaze (vasô dhauti).
6)   Basti (vasti) Limpeza do reto e do cólon com água. Foi o ancestral do clister.


[1] Segundo os textos clássicos hindus.

 

Extraído do livro Tratado de Yôga do Sistematizador DeRose.

Esta entrada foi publicada em Técnicas, Textos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>