A importância do animal mais lento do mundo


Há uma piada ilustre que pergunta “Sabe qual é o animal mais lento do mundo? Resposta: O grupo”. Nada demora mais do que um grande grupo. Algo urgente precisa ser resolvido? Se depender de um aglomerado de seres humanos, tenha certeza: ficará pronto só na semana que vem. Num regime democrático, só no mês que vem.

Discussões, opiniões, conversas e reuniões. Tudo isso torna lento qualquer processo. Além disso, as dificuldades de um integrante, ou a falta de comprometimento individual, danificam profundamente a produtividade de um grupo. Todos nós percebemos esse entrave em diversas situações em nosso ambiente de trabalho, nas nossas famílias, ou nas nossas atividades diárias. Mas a situação em que a lentidão coletiva fica mais explícita é numa viagem. Em qualquer viagem há apenas uma única meta: carregar um amontoado de pessoas de local A para local B. Encontrar-se em hora X para alcançar o objetivo em horário Y. Simples? Que nada, a partir daí começam os problemas: antes de sair de A, um indivíduo demora mais para acordar e atrasa um pouco. Nada grave. Todos partem rumo à meta, apenas meia hora atrasados. No meio do trajeto, outro erra o caminho. Ainda outro acaba se acidentando levemente, mas não tem problema, vamos continuar! Aí, começamos a discutir se vamos parar para um lanche. Uns querem, outros não. A discussão leva tanto tempo que fica tarde e, no fim, estão todos com fome. Paramos para comer. Mas o que comer? Comemos todos juntos? Ou cada um escolhe o seu próprio? E por aí vai. Pequenos minutos acumulam-se em horas de atraso. Até finalmente chegar ao ponto B. Ufa! Que ótimo, chegamos. Mas cadê fulano? …Às vezes, parece que o grupo não nos ajuda em nada.

Mas não é verdade. O grupo nos protege e nos incentiva. Talvez o respeito à individualidade e a ajuda mútua não sejam elementos aceleradores. Por outro lado, são elementos que nos auxiliam na durabilidade das ações. Com um ombro amigo, você está menos predisposto a desistir. Você compartilha experiências e confidencia sentimentos. Leva empurrões e recebe incentivos para ir além. Aprende com a diversidade. Constrói lembranças com um grupo e fomenta a memória de uma geração de pessoas. É uma forma lenta de chegar lá, porém, na maioria das vezes é a única forma.

Pare de reclamar da natureza vagarosa desse animal. Suba no coletivo e mostre que você pode auxiliar na sua movimentação.

Marcos Eiji

Esta entrada foi publicada em Sem categoria e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>